clarear a pele

Uma das queixas e perguntas mais comuns que recebo aqui no blog é sobre como clarear manchas na pele. A origem das manchas é diversa: melasma pós gravidez, de cicatrizes de acne, de picadas de inseto, machucados, sardas por excesso de sol. Tudo isso pode manchar a pele.

As manchas ocorrem porque a pele depois que é agredida (seja pelo sol, seja por algum tipo de machucado) reponde produzindo mais melanina com o objetivo de ficar mais resistente. Alguma dessas alterações saem sozinham com o tempo, mas muitas vezes, especialmente quando a agreção é crônica a mancha fica lá e não sai mais.

Sabendo dessa queixa comum, a indústria coméstica está sempre buscando ingredientes que possam amenizar as manchas e clarear a pele. Mas infelizmente não existe um clareador perfeito. Ou seja, um produto que seja ao mesmo tempo eficiente e seguro e não traga efeitos colaterais.

O ingrediente mais usado contra manchas é a hidroquinona. Já falamos detalhadamente desse ingrediente aqui. Ela ainda é considerado o agente mais eficiente e por ser o mais antigo, os novos clareadores são sempre comparados a ela nos estudos. A fórmula que associa a hidroquinona com o ácido retinóico e corticóide com efeito anti-inflamatório, presente em medicamentos (lembrem-se, medicamentos tem efeitos colaterais e precisam de prescição médica!) como o tri-luma, ainda é a que mais clareia a pele, segundo os estudos mais recentes. Deviso aos seus efeitos colaterais e os potenciais riscos a longo pra a hidroquinona foi proibida em diversos países (especialmente na Europa e na Asia) e isso aumentou ainda mais a procura por novos ingredientes. Alguns deles já falamos aqui no blog.

Mequinol

O mequinol, que foi citado pelo Fernando nesse post aqui, é um desses substitutos. No Brasil é vendido em concentração de 10% como medicamento. Nos EUA a concentração máxima do produto vendido com receita médica é de 2% associado ao ácido retinóico a 0,01% e vitamina C.  Não se sabe exatamente como o ingrediente funciona mas aparentemente ele bloqueia uma enzima que estimula a produção de melanina na pele. Ele não faz os mesmos danos ao melanócito que a hidroquinona, ou seja, não teria efeito cancerígeno, mas a efetividade apresentada nos estudos em termos de clareamento da pele é menor. O principal problema apontado nos estudos em relação ao mequinol é que especialmente em peles mais escuras tem ocorrido re-pigmentação da pele após a suspensão do uso do medicamento. Assim, como a hidroquinona o mequinol é fotosensível e deve ser usado com proteção solar intensa para evitar que a pele fique ainda mais manchada com o seu uso.

Retinóides

Os derivados da vitamina A também podem ser usados isoladamente para clarear a pele, mas em geral seu efeito é mais como potencializador de outros despigmentantes sendo usado isoladamente apenas nos casos bem leves. Aumentar o consumo de vitamina A na dieta, porém, é uma estratégia interessante que deixa a pele mais resistente aos danos provocados pela exposição solar de maneira preventiva.

Ácido Azeláico

O ácido azeláico a 15%, é o terceiro medicamento despigmentante e comumente indicado no tratamento da Rosácea. Já falamos dele aqui no blog. Eu uso e estou gostando bastante do resultado. Ele atua especialmente na síntese  de DNA dos melanócitos defeituosos então também tem o efeito de previnir a progressão de células canceígenas. Em contrapartida o seu efeito despigmentante é menor se comparado a hidroquinona ou ao mequinol.

Arbutin

O arbutin é considerado o despigmentante cosmético (ou seja, pode ser vendido no balcão das farmácias sem receita médica) mais eficiente atualmente disponível. Ele é muito usado no Japão em concentração a 3%. É chamada da hidroquinna natural, or ser proveniente de alguns vegetais. As pesquisas indicam que o Arbutin não danifica os melanócitos, sendo seu uso considerado seguro. As concentrações mais altas parecem ser mais eficientes mas muitas vezes trazem pigmentação rebote quando a pele fica muito irritada. No Brasil alguns produtos contém Arbutin como o Dermatus Skin Plus Fluido Clareador e o Klassis (que contém também ácido glicólico e ácido kójico e é o produto que eu mais gosto para quem quer usar um clareador durante o dia).

Ácido Kòjico

É outro despigmentante bastante usado no oriente e sobre o qual já falamos bastante aqui no Blog. Assim como os outros é mais seguro mas porém menor eficiente do que a hidroquinona. A vantagem é que pode ser usado também durante o dia.

Outros ingredientes como a vitamina C, o Aleosin, a soja, a N-acetyl glucosamine e o extrato de licorice são outros agentes que vem sendo utilizados e testados pela indústria cosmética como despigmentantes mas os efeitos ainda são modestos e em geral, esses ingredientes são usados de maneira associada para aumentar um pouco a sua eficácia.

Além de tudo sempre é bom lembrar que mesmo o produto mais eficiente tem seu efeito bastante lento. São necessários em geral meses e persistência e disciplina (sem falar em dim dim, já que os despigmentantes tendem a ser bem caros) para ver algum resultado.

Portanto nunca é demais falar que a prevenção, evitando ao máximo expor a pele ao so e aos mosquitos e também não espremer as espinhas é de longe a melhor estratégia para evitar as indesejadas manchas escuras.

Quer aprender tudo sobre como evitar e tratar manchas na pele? Compre o livro do Bulle de Beauté sobre o assunto. Para saber mais basta CLICAR AQUI

Mais aqui no bulle

Pós Roacutan: Como tratar as cicatrizes de acne?

Creminhos anti-idade para iniciantes

Como passar cremes noturno. Em vídeo!

Belas mamães (como tratar os prejuízos estéticos da gravidez): parte 2 – Melasma

 

Beleza Passo a Passo
Gostou do conteúdo? Assine agora para receber GRÁTIS um programa exclusivo de 5 dias para uma pele mais bonita e saudável + a lista com os 5 produtos de beleza essencias, que eu uso (e que custam menos do que R$ 60,00) !

optin novo

 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.